FARISEUS DE ONTEM E DE HOJE, Do Sinédrio à CGADB

FARISEUS DE ONTEM E DE HOJE
Do Sinédrio à CGADB

    Então, falou Jesus à multidão e aos seus discípulos, dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os Escribas e Fariseus. Observai, pois, e praticai tudo o que vos disserem; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não praticam”  (Mateus 23.1-4)

Durante o ministério terreno do Senhor Jesus, o grupo que mais se opôs e resistiu ao Mestre, foi o grupo dos religiosos. Esse grupo era formado por Sacerdotes, Escribas, Fariseus e Saduceus. Homens que reivindicaram o respeito e reverência, pois se consideravam mais santos e conhecedores da Lei que os demais. Um grupo seleto composto por parte desta elite religiosa, incluindo o Sumo Sacerdote, era chamado de Sinédrio.  
Dentre as muitas narrativas dos evangelistas, podemos destacar algumas que demonstram a oposição clara ao Ministério de Cristo. Certa feita, Jesus realizou uma cura no sábado e o Príncipe da Sinagoga se levantou furioso, repreendendo os que ali estavam e recomendando que viessem outros dias para serem curados e não no sábado. O Senhor Jesus responde: Hipócrita, no sábado não desprende cada um da Manjedoura cada um de vós o seu boi ou jumento e não o leva a beber água? E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás mantinha presa?” (Lc 13.14-16). Foram eles que tentaram ao Senhor trazendo uma mulher flagrada no ato de adultério, mas o Advogado dos Advogados disse: “Quem dentre vós está sem pecado, atire a primeira pedra” (Jo 8.7). Ele usou a brecha da lei que mandava apedrejar o adúltero e a adúltera e exerceu a Graça sobre aquela mulher que certamente fora envolvida em uma trama para achar um erro em Jesus.
Sabendo que estava próximo o momento de sua crucificação, no capítulo 23 do Evangelho de Mateus, Jesus aproveita para mostrar o currículo dos tais religiosos que Ele observara durante a sua vida e em especial, durante o seu Ministério. É nesse ponto que destacamos o texto supramencionado. “Então, falou Jesus à multidão e aos seus discípulos, dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os Escribas e Fariseus. Observai, pois, e praticai tudo o que vos disserem; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não praticam” (Mateus 23.1-4). Em todo capítulo Jesus os chama de Hipócritas, Sepulcros caiados, Raça de Víboras, etc.
Nos capítulos 26 e 27 do mesmo Evangelho (Mateus), esses religiosos procuram desesperadamente todo tipo de manobras para encontrarem um crime em Jesus e o condená-lo à morte; Procuraram um depoimento falso (Mt 26.59), Subornaram Judas para o trair, mas depois que Judas resolve devolver o dinheiro, eles não aceitam alegando que era preço de sangue (Mt 27.5) isso se chama Hipocrisia. O dinheiro era deles. Segundo o Apóstolo Paulo, foram eles quem mataram o Senhor Jesus (1 Ts 2.15).
No inicio do livro de Atos o Sinédrio prendeu e açoitou a Pedro e João (At 4). Foi esse mesmo Sinédrio que condenou à morte por apedrejamento, usando falsas testemunhas, o Primeiro Mártir da Igreja, Estêvão. (At 7). Também foi esse Sinédrio que tentou matar o apóstolo Paulo (At 23) só não conseguiram porque o Tribuno chamado Cláudio Lísias foi usado por Deus para livrá-lo.
Durante todo o período da história da Igreja, muitos “Presbitérios”, “Assembléias” “Conselhos diaconais” “Concílios” “Dietas” etc. Foram criados, com o intuito de resolver os problemas difíceis da Igreja ou apoiá-la em questões teológicas e/ou administrativas. Não existe nada de errado nos “Conselhos”, pois a própria Bíblia recomenda que na multidão dos conselhos há sabedoria. O problema começa quando homens ímpios integram esses conselhos, tribunais ou convenções. Por isso o Senhor Jesus começa o discurso contra os falsos religiosos dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os Escribas e Fariseus...” Homens maus fazem coisas más, homens ímpios cometem toda sorte de impiedade, e como estão assentados na CADEIRA DE MOISÉS, se acham impunes, acima da crítica, e como o Papa julgam-se “infalíveis”.
Durante a idade média, muitos inocentes foram condenados e mortos pelo “Tribunal do Santo Ofício” que conhecemos como Inquisição. No Concílio de Éfeso (432) Maria foi chamada de “mãe de Deus” (Theotókos), no Concílio de Trento (1545-1563) foram incluídos 7 livros apócrifos e foram traçados diversos planos contra a Reforma Protestante, o movimento é conhecido como Contra-Reforma e resultou na morte de milhares de protestantes. Ou seja, o problema não são os conselhos, ou concílios, ou convenções em si, mas os homens que os integram e com que objetivo eles se reúnem, traçando planos para matar ou cometer outros ilícitos.
A CGADB, Convenção Geral das Assembléias de Deus do Brasil, fundada em 1930 tinha como objetivo reunir Ministros das Igrejas Assembléias de Deus de todo Brasil para tratar de assuntos relevantes, do crescimento da denominação, bem como trazer comunhão e Edificação espiritual aos pastores através de estudos Bíblicos e reuniões de oração.
Alguns anos depois a instituição já causava preocupações e o missionário Nels Nelson através de carta datada de 27/08/1959 exorta para que a mesma não seja uma plataforma política, nem local de intrigas, mas local de comunhão e estudos da Palavra de Deus.

Infelizmente, parece que a carta do pioneiro não foi lida, pois em quase 30 anos sem alternância, o Pastor José Wellington Bezerra da Costa lançou o seu filho como candidato para substituí-lo em 2017, mas já existem, várias liminares cassando a candidatura do Pr. Wellington Jr. Por irregularidade na candidatura. Além disso, mais 10 mil inscrições foram canceladas por irregularidades, pastores foram inscritos por terceiros que pretendiam votar em seus lugares para beneficiar a atual administração.
Alguns fariseus pós modernos acham um absurdo o fato de um Juiz descrente julgar os membros da atual convenção, mas parece que Deus continua usando os “Cláudios Lísias” para livrar os Paulos, uma vez que o “Sinédrio” de forma ardilosa deseja matá-lo.
Ora, os santos membros do Sinédrio inscreveram alguns mortos e outros em série, com emails seqüenciais (Ex. joao222@gmail.com, joao223@gmail.com, joao224@gmail.com) com o claro objetivo de votarem em lugar dos desinformados e não querem ser julgados por Juízo humano....
Na cadeira de Moisés estão assentados os Escribas e Fariseus...”
Que os verdadeiros homens de Deus, orem, vigiem e façam justiça e no dia 09 de Abril de 2017 votem com consciência, com sabedoria, desejando o melhor para a Instituição e para a Igreja.
Sugerimos o nome do Pastor Samuel Câmara como um homem qualificado para exercer o cargo de Presidente da CGADB o qual trará a alternância e a funcionalidade da Convenção, pois o mesmo apresenta as melhores propostas, dentre elas, a Rede Assembléia de Deus de Televisão.
http://samuelcamara.com.br/     (Site com as propostas do Pastor Samuel Câmara)

 “E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as. Ef. 5.11
A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz. Rm 13.12


Blogs que esclarecem acerca da eleições CGADB 2017

https://www.eleicoescgadb.org.br/#/index     (Site das eleições CGADB 2017)



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CRENTES COM ENXÚNDIAS NAS ILHARGAS

Três recomendações acerca dos pastores

A HISTÓRIA DAS ORAÇÕES QUE MUDARAM A HISTÓRIA