O “MITO” MICHAEL JACKSON À LUZ DA BÍBLIA


“E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza, porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui. E propôs-lhes uma parábola, dizendo: a herdade de um homem rico tinha produzido com abundância. E arrazoava ele entre si, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos. E disse: Farei isto: derribarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; e direi à minha alma: alma, tens em depósito muitos bens, para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma, e o que tens preparado para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros e não é rico para com Deus. (Lc 12.15-21)
Os últimos dias foram marcados por notícias acerca da morte de Michael Jackson. A Sua morte prematura aos 50 anos, as suas tentativas de transformações, seus escândalos etc. nos leva a fazer algumas reflexões acerca do assunto à luz da Bíblia Sagrada.
Lembro-me que no início dos anos 80 havia uma verdadeira febre em torno do nome Michael Jackson. Eu tinha um amigo que vestia uma jaqueta jeans, penteava o cabelo igual o cantor e se parecia realmente com ele. Quando passava nos corredores da igreja, as adolescentes gritavam Michael! Michael!
No dia 18 de julho de 1984, Pepe Escobar assinou um artigo onde afirmava, acerca de Michael Jacson "Ele é mesmo mais popular do que Cristo".
O Que leva as pessoas a venerarem um ídolo? O que faz as pessoas gastarem fortunas para assistirem um show? O que faz pessoas abastadas dormirem na rua para avistarem de longe o seu ídolo? Acho que nem Freud explica. Mas vou trazer alguns esclarecimentos à luz das Escrituras Sagradas.
O Pr. Celso concluiu na terça feira passada (dia do funeral de Michael Jackson) um estudo acerca de Faraó e Moisés, onde por várias vezes fez distinção entre o Faraó homem, Faraó rei e Faraó “deus”. Por trás do homem e do rei faraó, havia uma entidade espiritual a quem os egípcios prestavam culto, ou seja, IDOLATRIA. Por trás do homem Michael Jackson e do “rei do pop” havia uma entidade espiritual a quem os fãs prestavam culto, ou seja, IDOLATRIA. Já estão até dizendo que ele não morreu.
A Bíblia diz: “Ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele servirás” (Mt 4.10). Quando alguém é adorado como se fosse “um deus”, uma entidade espiritual se aproveita da situação para receber aquela adoração. No capitulo 28 de Ezequiel o texto parece até confuso quando fala do rei de Tiro e de Satanás. O texto fala de expressões como “estavas no Éden, jardim de Deus” e “andavas entre as pedras afogueadas” se referindo ao “deus de Tiro” – Satanás e outras expressões como “morrerás” se referindo ao homem, o rei de tiro.
Uma coisa que Satanás sempre quis ser é rei. E como não conseguiu ser Rei dos Reis ele aparece na bíblia como “rei do Egito”, “rei de tiro”, “rei da Babilônia” etc. e no contexto mundial não é diferente; ele aparece como “rei do rock”, “rei do pop”, “rei do gospel” etc. A especialidade dele é se transfigurar. “E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.” (2 Co 11.14).
A vida de Michael Jackson consistiu em muitas transfigurações . Assim como no trailer de uma de suas músicas onde vários rostos se transformam, os demônios têm várias faces.
Desejo ressaltar que o homem Michael Jackson era uma alma preciosa para Deus. O problema maior não está no homem ídolo, mas no ídolo espiritual que está por trás do homem. E este homem acaba se transformando num escravo do “deus” que está recebendo a adoração. Pobre Michael, tão rico e tão pobre, tão idolatrado e tão só. Tudo que conquistou para quem será?
Mas o ponto que mais me chama a atenção é o fato de que, mesmo depois de mais de 40 anos após ter sido maltratado pelo pai, ele não o perdoou nem o colocou no testamento da herança.
A Bíblia diz “Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa,
para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra.” (Ef 6.2,3). Michael Jackson morreu aos 50 anos, seu pai Joe Jackson de 78 anos está vivo. O mandamento bíblico é implacável. Para que vivamos muito tempo sobre a terra precisamos honrar o pai e a mãe. Acredito que a falta dessa honra juntamente com a falta do perdão tiraram da terra mais cedo, alguém tão famoso.
A Bíblia diz: “Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura.” (Isaías 42:8)
Por trás de toda idolatria, seja a um cantor, um artista, uma modelo ou por trás de um cantor evangélico ou até um pregador, haverá “alguém” tentando receber a adoração para si. É a síndrome de Lúcifer, tentar ser igual a Deus. É o espírito do anticristo... “querendo parecer Deus.” (2 Ts 2.4). “Portanto, meus amados, fugi da idolatria.” (1 Coríntios 10:14).
Nosso Cristo não nos leva a “terra do nunca”. Ele nos leva à Terra prometida.
Nosso Cristo não é rei do pop. Ele é REI DO REIS.
Nosso Cristo não se transfigura. Ele sendo Deus se fez homem para nos salvar.
Nosso Cristo não ficou no túmulo. Ele ressuscitou, vive para sempre e é PAI DA ETERNIDADE.

A ELE Jesus, toda a glória.

Deus em Cristo vos abençoe.

Pr. João Neres

Comentários

Anônimo disse…
Michael já tinha perduado seu pai, ele mesmo disse isso em entrevistas, é só procurar na net. Não digam coisas que não correspondem a verdade.

Postagens mais visitadas deste blog

CRENTES COM ENXÚNDIAS NAS ILHARGAS

Três recomendações acerca dos pastores

A HISTÓRIA DAS ORAÇÕES QUE MUDARAM A HISTÓRIA